GAGUEIRA E NERVOSISMO

Quinta, 03 Novembro 2016

Em primeiro lugar, é importante lembrar que todos os falantes em situação de stress e ansiedade cometem um maior número de rupturas na fala, na maioria das vezes, efetua-se disfluências do tipo comuns: revisões, hesitações ou repetição de palavras por exemplo.

Sabemos que em momentos de “nervosismo” nossa respiração pode ficar incordenada, provocando até aceleração do batimento cardíaco e prejudicando a irrigação sanguínea dos músculos, no caso na fala, uma musculatura muito tensa na região de pescoço e face favorece o aparecimento de bloqueios de sons.

imagem 6

Em instantes que precedem ocasiões discursivas, como falar em público ou entrevistas de emprego, o ideal é que o indivíduo procure efetuar um ritmo respiratório coordenado, ou seja, inspirar e expirar lentamente para que seus órgãos internos e sua mente se regulem.

Quando falamos, devemos coordenar respiração com a emissão de palavras, o conceito de coordenação pnemo-fono-articulatória ideal é fazer inspirações curtas e expirações longas, para que não haja pausas extensas e para que o ar dure até o final da frase.

imagem 7

Pensando em uma pessoa que gagueja, o ideal seria realizar, instantes antes do discurso, uma respiração lenta, tanto de entrada quanto de saída de ar, para que a musculatura fique mais relaxada e o ritmo cardio-respiratório mais coordenado. Durante o discurso, o ideal é que haja momentos de inspiração curta, e nesses momentos o indivíduo gago pode se concentrar também na suavização dos movimentos de articulação oral (técnica de suavização). Ter atenção no início da emissão, coordenando bem a respiração com a fala, favorecem uma melhor fluência.

Autoria: Fga. Anne Elise Vivo Rodrigues

CRFa 2 - 15897

Comentar

+ Pesquisar


+ Últimas Publicações


 

+ Mais Vistas